quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Álcool e fumo são piores que LSD, diz estudo

Classificação feita por cientistas britânicos coloca bebida alcoólica perto de heroína.
Tabela leva em conta risco de dependência e problemas sociais de cada droga.



O álcool é quase tão prejudicial quanto a heroína, e o tabaco é mais perigoso que a maconha, o LSD e o ecstasy, segundo uma nova tabela de classificação de drogas publicada nesta sexta-feira na revista médica "The Lancet".

A tabela, desenvolvida por um grupo de cientistas britânicos, classificou a heroína, a cocaína, os barbitúricos e a metadona comercializada nas ruas como as drogas mais nocivas, seguidas de perto pelo álcool, que aparece em quinto lugar.
O tabaco foi avaliado como a nona droga mais perigosa, atrás da quetamina - comumente usada como anestésico de cavalos -, das benzodiazepinas, que são calmantes vendidos com prescrição médica, e anfetaminas.

Segundo esta classificação, a maconha é a 11ª droga mais perigosa. O LSD aparece em 14º e o ecstasy, apelidada de "droga dos clubbers", em 18º lugar.

A nova classificação se baseou nos danos físicos causados ao usuário, na probabilidade de a droga induzir à dependência e no efeito de seu uso nas famílias, nas comunidades e na sociedade.

Cada uma das três categorias foram divididas em nove grupos de risco e especialistas independentes, inclusive psiquiatras e cientistas forenses, classificaram cada categoria numa escala de 0 ("nenhum risco") a 3 ("risco extremo").

A heroína marcou 2,7 pontos na escala e o álcool, menos de 2. O tabaco marcou 1,7 ponto e o ecstasy, 1,1.

Um dos cientistas, o professor Colin Blakemore, chefe-executivo do Conselho de Pesquisa Médica, financiado pelo governo britânico, disse que suas descobertas diferem claramente da classificação existente de drogas no Reino Unido.

"O álcool e o tabaco estão no topo da tabela, sendo que o álcool não está muito longe dos verdadeiros terrores das ruas, como a heroína", disse.

"Uma visão mais científica é que esses riscos precisam ser avaliados quanto a seu efeito na população inteira", acrescentou seu colega, o professor David Nutt, da Universidade de Bristol, oeste da Inglaterra. As drogas de classe A, como a heroína, a cocaína, o crack, o ecstasy e o LSD, normalmente levam a sentenças de prisão de no máximo sete anos. A maconha é uma droga de classe C, enquanto o álcool e o tabaco não têm classificação.

Blakemore disse que os políticos iriam "perceber" que sua tabela difere substancialmente da classificação oficial, que um outro estudo britânico publicado em 8 de março considerou inadequada.

A Comissão sobre Drogas Ilegais, Comunidades e Política Pública informou que a legislação britânica sobre drogas deveria ser substituída por um sistema que reconheça os efeitos danosos à saúde de substâncias como álcool e tabaco no lugar da prevenção de crimes.


Fonte:http://g1.globo.com/Noticias/Ciencia/0,,MUL13574-5603,00.html

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

UMAIGREJAPARA QUEM NÃOGOSTA DEIGREJA

Já reparou que a gente costuma sentar no mesmo local todos os domingos na igreja? Sem pensar, quando entramos, já vamos direto para lá e pior, às vezes “achamos” que o lugar é nosso.
A maioria das pessoas não gosta de mudanças e é por isso que elas incomodam. Gostamos de ficar nos nosso conforto, mas crescimento requer mudanças.
Vira e mexe alguém me pergunta por que esta geração não se contenta com o que está na igreja, por que sempre estamos querendo mudar as coisas.
Não somos estátuas e nem somos feitos em séries, estamos o tempo todo em movimento, gerando novas culturas, novas necessidades e novos questionamentos.
Sinto que às vezes a igreja está dando respostas para uma pergunta que fizemos há 15 anos. O problema é que não nos lembramos mais dela porque já fizemos centenas de outras perguntas depois.
Há uns 10 anos fui em uma igreja na Califórnia que não tinha templo, eles se reuniam em escolas, já que aos domingos as escolas estão fechadas. Ao entrar, vi lá na frente uma faixa: “Uma igreja para quem não gosta de igreja”. Fiquei abismado com a proposta na hora, mas hoje eu entendo.
Fomos fazer uma série com Liturgia 2.0 (procurar em outros textos) para pessoas que não gostam de igreja, e uma das pessoas que estavam construindo essa série comigo me perguntou: “Não seria melhor a gente investir naqueles que gostam de igreja?”
Pensei: “Não é isso que fazemos todos os domingos?”.
Hoje eu sei o porquê busco mudar e continuar reformando a nossa igreja: porque eu seria um daqueles que gostaria muito de Jesus e do evangelho, mas não me adaptaria com a igreja.
Andy Stanley certa vez falou que “devemos casar com nossa missão e namorar a metodologia”.
O problema é que fazemos o contrário, casamos com a “forma”, porque não gostamos de mudanças, e acabamos enfraquecendo os nossos laços com a missão da igreja.
Eu diria que devemos casar com a missão e ficar com a forma, só usá-la e, quando ela não estiver sendo mais útil para a missão, devemos jogá-la fora.
O que não muda é a missão, é o nosso Deus. A forma tem que estar em mudança o tempo todo. Assim, as pessoas não vão recusar a essência (Deus) em detrimento da forma (liturgia).
Acho que é por isso sou um cara incomodado que as vezes incomoda, porque fico sempre pensando: “quantos Marcos Botelhos, Andrés, Ricardos estão aí fora sem ter experimentado o que é a igreja na essência, a vida no corpo de Cristo, e estão batendo cabeça sozinhos?”
Marcos Botelho
Fonte - http://ultimato.com.br/sites/marcosbotelho/2010/12/07/uma-igreja-para-quem-nao-gosta-de-igreja/#more-997

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Escola de Samba

“Louvai-o com o som da trombeta, louvai-o com saltério e com harpa, louvai-o com adufes e danças, louvai-o com instrumentos de cordas e com flauta, louvai-o com címbalos sonoros, louvai-o com címbalos altissonantes.”
Este é um texto que nos dá base para aceitarmos o uso de muitos instrumentos que, por vezes, são marginalizados no culto ao Senhor. Entre os mais criticados estão a bateria, as percussões e o berimbau. Traduzindo os termos do versículo – adufe é o mesmo que pandeiro e címbalos são pratos – é fácil concluir que Deus não é contra os pratos utilizados em abundância na bateria. Noutras passagens bíblicas observa-se o uso dos tambores (Gn 31:27; I Sm 10:5; 18:6; Is 5:12; 24:8).
Um bom observador verá que uma bateria é composta apenas de pratos e tambores, nada mais. Portanto, Deus não é contra a bateria. Se algumas pessoas a tocam tão alto a ponto de incomodar, é mais uma questão de ajuste do volume, da técnica do instrumentista, do que falta de reverência no culto.
Deus também não é contra o pandeiro e nem contra o berimbau que é um instrumento de corda tal qual a harpa. Os instrumentos utilizados em cultos afros, ou de qualquer outra etnia, não foram criados pelo inimigo. O Diabo não cria nada. Quem cria é o homem, inspirado por Deus que o criou.
O tamborim é outro marginalizado. Miriã, irmã de Arão, o sumo sacerdote, em Êxodo 15:20, toca tamborim e dança, juntamente com outras mulheres, louvando ao Senhor. Mais tamborins em: Jz 11:34; II Sm 6:5; Jó 21:12; Sl 68:25; 81:2.
Ajuntando todos esses instrumentos tem-se uma boa escola de samba tocando música brasileira da melhor qualidade.
Conclui-se, portanto, que o fato de se proibir o uso desses instrumentos no culto ao Senhor não é porque a Bíblia condena, mas porque o homem condena. O uso ou não desses instrumentos é questão cultural. Deus quer receber o louvor em espírito e em verdade, independente do instrumento que se está usando. Em muitas etnias, quando as pessoas se convertem, elas continuam a utilizar os seus próprios instrumentos para louvar a Deus. A Bíblia é clara: louvai ao Senhor com todos os instrumentos. “Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo.”
O destaque neste versículo está em duas expressões: “tocai bem” e “com júbilo”. Em outras versões encontraremos “tangei com arte e com júbilo” – tanger significa tocar de forma dedilhada um instrumento musical.
Tocar com “arte” é tocar bem, com técnica, sabendo o que está fazendo com o instrumento musical porque estudou profundamente a respeito dele. Tocar com júbilo é mais do que tocar com alegria. É tocar com a verdadeira alegria advinda da unção de Deus sobre a vida do instrumentista.
O salmista Davi está enfatizando que não basta apenas saber tocar bem um instrumento ou ter unção de Deus para ministrar com música na Casa do Senhor. É preciso que o ministro de música toque com técnica e também com unção. Que saiba equilibrar arte e unção.
Concluímos, portanto, que o ministro deve buscar se aperfeiçoar constantemente em seu instrumento musical e também na comunhão com o Senhor. Em I Samuel 16:18, a Bíblia destaca a habilidade de Davi em executar seu instrumento e em Atos 13:22 a sua perfeita comunhão com o Senhor, tornando-o alguém habilitado a estar aconselhando os músicos a tocarem bem e com júbilo. "Um dos seus próprios profetas disse: Os cretenses são sempre mentirosos, animais ferozes, glutões preguiçosos"
O profeta a que Paulo se refere chama-se Epamênides, um filósofo grego que viveu 600 anos antes de Cristo. A sua frase, transcrita por Paulo, parece ter sido o estopim para que todas as gerações seguintes se pervertessem.
Por causa disto, Paulo teve que ensinar Tito exatamente o que ensinar a cada segmento da sociedade cretense (Capítulo 2:1-9), haja vista que a filosofia de Epamênides corrompera as pessoas geração após geração.
No Brasil, frases ditas por "filósofos populares" (músicos, poetas, publicitários, escritores, etc), têm corrompido o povo brasileiro: "País do carnaval", "O importante é levar vantagem em tudo" (frase dita pelo jogador de futebol Gerson em uma propaganda de cigarro), "Este País é ruim porque os seus primeiros habitantes eram bandidos", e muitas outras frases.
Não penso que isto seja questão de benção ou maldição. É uma questão psicológica. Se nascemos e crescemos com alguém dizendo isso todos os dias, passamos a acreditar assim.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

A QUEM POUCO SE PERDOA, POUCO AMA

PERDÃO
Muitos relacionamentos bons freqüentemente se vêem enfraquecidos por conta de um detalhe, um deslize aqui e ali, real ou imaginário. Há pessoas que, por pouco, se enchem de rancor e até perdem o próprio controle em situações por vezes simples como, por exemplo, um amigo que demora um pouco mais para retornar uma ligação, ou o fato de seu nome não figurar na lista de convidados de uma formatura, festa de aniversário, etc.
Muitos colocam um amigo em um nível tão alto que facilmente se decepcionam nas primeiras dificuldades. Não conseguem relevar pequenas coisas. Até o menor descuido pode se transformar em algo do tipo "traição".
Meu leitor, desenvolva a capacidade de relevar, de perdoar mágoas decorrentes dos relacionamentos com amigos. Quando a gente não perdoa, acumula um punhado de miséria alojado bem no fundo, nas entranhas do coração, aprofundando, para a própria infelicidade, as malditas raízes de amargura.
Nunca se esqueça de uma coisa: perdão é estrada de mão dupla. Quem é perfeito que não comete erros? Então, para que ser tão implacável com um amigo que falhou, intencionalmente ou não? Leia o provérbio chinês: "Não use um machado para tirar a mosca da testa do seu amigo".
Creia em uma coisa: se algum relacionamento tem sobrevivido é porque você tem amigos que sabem perdoar. E os amigos mais antigos, responsáveis pelas amizades mais duradouras, são os que mais nos perdoam.
Qualquer amigo que você tenha, um dia certamente irá decepcioná-lo. Pode ter certeza.
Aprenda a ter amigos de verdade. Faça também a sua parte. Aformoseie seu rosto. Há como perdoar até as chamadas "ofensas grandes"! Quanto mais relevar e esquecer as pequenas!

A QUEM POUCO SE PERDOA, POUCO AMA
LUCAS 7.36-50
SITUAÇÃO 1 (versos 36-38)
A razão pela qual Simão convidou Jesus para comer em sua casa não nos é conhecida. O fato é que, quando começaram a tomar a refeição, uma mulher de vida errada, isto é, de má reputação, entra naquela casa, levando consigo um frasco de alabastro com perfume para ungir Jesus. Ela foi de muita audácia e valor ao enfrentar os olhares cruéis e depreciativos dos que ali se encontravam e conseguir, dessa forma, aproximar-se de Jesus. É bem possível que ela já o houvesse encontrado e sentido o impacto da santidade dEle, fazendo-a reconhecer-se pecadora. Desejava obter perdão por estar certa de que Jesus tinha poder para tanto.
Ela chegou perto de Jesus, soltou os cabelos para com eles enxugar os pés do Mestre, que seriam ungidos com perfume, como que, também, demonstrando profundo agradecimento.

SITUAÇÃO 2 ( VERSO 39)
Que oposta e lamentável foi a atitude de Simão!
Surpreendeu-se por Jesus ter permitido tais coisas a uma mulher pecadora. Longe de olhar para dentro de si mesmo e ver-se débil e orgulhoso, legítimo representante da vanglória dos fariseus, Simão lamentou que Jesus tivesse a coragem de se compadecer de gente
assim e, inclusive, porque o recebia, formalmente, em sua própria casa.
Há muitos como Simão, dentro da Igreja, mas sem lugar para Jesus em seu coração. Sem misericórdia.
SITUAÇÃO 3 (VERSOS 40-50)
Jesus, que conhecia perfeitamente os pensamentos de Simão, começou a narrar uma história sobre o significado do perdão. Desse modo, conseguiu firmar o contraste entre a conduta do anfitrião e a da mulher carente de perdão e paz, como que dizendo: o que faltou à hospitalidade de Simão foi suprido pela atitude da mulher. Ela se havia quebrantado, enquanto Simão estava cheio de vanglória e insolência.
Por sentir-se perdoada, amou muito, porque “AQUELE A QUEM POUCO SE PERDOA, POUCO AMA” (verso 47).E diz mais Jesus a ela: “perdoados são teus pecados”
(verso 48). E depois completou: “Vai-te em paz, a tua fé te salvou”. (verso 50).
O amor que a mulher sentia em seu coração, foi efeito, resultado do perdão. Por isso Jesus diz que a fé, e não o amor a salvou. O amor agradecido é fruto do perdão.
E a paz é a possessão bendita da alma perdoada. Glória a Deus pela bênção do perdão!
Que lições às três situações distintas nos ensinam? – Cada um examine-se a si mesmo!
Pastor Eli Fernandes de Oliveira
IB da Liberdade - SP

sábado, 13 de novembro de 2010

SEXO - A MELHOR POSIÇÃO É PAPAI E MAMAE

Adolescentes, adolescentes! Ficávamos discutindo qual a melhor posição para se fazer sexo, éramos estimulados pelas nossas mentes férteis e por materiais não apropriados para a nossa idade a pensar em varias posições sexuais que nos dariam a possibilidade de ter muito prazer!
Mas hoje eu sei que nenhuma pode te dar mais prazer que a posição Papai e Mamãe! Não estou dizendo a posição em si, mas sim a postura de um pai e uma mãe, a postura de um casal que tem planos e compromissos. Vou explicar.
O proibido sempre foi usado como estímulo sexual para criar desejos e esquentar relacionamentos.
As histórias e os filmes pornograficos montam as fantasias com pessoas que estão fora do seu convívio, colocando que o maior prazer vai surgir de repente com alguém que você não conhece bem, com a secretária, a vizinha ou alguém que entrou na sua casa para prestar algum serviço banal.
Dizem que não podemos ter o MAIOR prazer com o que temos em casa, com a esposa, mas é proposto para nós que a melhor posição do prazer é o Papai e a Amante ou a Mamãe e o Outro.
Afinal de contas, o poeta já cantou: “Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça é ela menina que vem e que passa”. Deixando bem claro que a que já estava não é mais bela e nem tem mais graça.
Mas isso não é verdade e, é exatamente por isso que se chama fantasia.
Um posicionamento no Papai e Mamãe sugere um compromisso a longo prazo entre duas pessoas que querem estabelecer uma família, algo para a vida.
O sexo já é um prazer enorme, mas se acrescentar o prazer do compromisso, a entrega é por inteira e não vai haver limites para o prazer! O orgasmo será apenas a porta de entrada para a alegria de estarem juntos gozando a comunhão de alguém que te quer por inteiro(a).
O que os adolescentes precisam saber é que, na verdade, não importa muito a posição sexual, se for Papai e Mamãe, de 4 ou até Canguru Perneta não é o que vai aumentar e perpetuar o prazer, e sim um compromisso duradouro com a pessoa com quem se tem a relação. Um compromisso de confiança, de vida, de família, que eu estou chamando de posicionamento Papai e Mamãe!
Marcos Botelho

terça-feira, 9 de novembro de 2010

O Evangelho Umbigocêntrico

por Hermes C. Fernandes

Pior que um Evangelho sem Cruz, é um Evangelho onde a Cruz é reinterpretada e acomodada às demandas de uma espiritualidade umbigocêntrica.
O Evangelho da Auto-estima insiste em afirmar que a Cruz de Cristo revela nosso real valor. Se não tivéssemos valor, por que Cristo Se disporia a pagar tão caro por nós?
Pode até parecer fazer sentido tal argumentação, mas carece totalmente de embasamento bíblico.
Quando um Juiz estabelece uma fiança altíssima para soltar alguém, isso revela o valor do criminoso ou a gravidade do seu crime?
A Cruz revela o nosso absoluto estado de miséria espiritual. O Salmista diz que nossa redenção era caríssima, e todos os nossos recursos se esgotariam antes.
Não se trata de afirmar nosso valor, como se Cristo estivesse pagando por algo que Lhe fosse muito caro. Trata-se, antes, do pagamento pelos nossos pecados.
Se houvesse algum motivo em nós mesmos, algum valor intrínseco pelo qual Cristo Se dispusesse a pagar, então já não seria por Graça, mas por mérito. Ora, se valêssemos a pena, Deus não teria feito mais do que Sua obrigação.
A Graça só se explica pelo fato de não valermos absolutamente nada. Nas palavras de Paulo, tornamo-nos inúteis. Do ponto de vista humano, a graça seria um enorme desperdício.
Oh maravilhosa graça! Deus pagou pelos meus pecados, e com isso, em vez de estabelecer meu valor, estabeleceu Seu amor. Deus decidiu amar o que não merecia ser amado. Deus decidiu perdoar e salvar o que sequer merecia Sua atenção.
A graça só se justifica pelo fato de Deus ser amor, e estar disposto a amar gente miserável, pecadora, desprovida de qualquer mérito próprio.
Diante da realidade da Cruz em contraste com sua natureza pecaminosa, Paulo não bradou “Valioso homem que sou!”, mas em vez disso, declarou “Miserável homem que sou!”
O Evangelho da Auto-estima desmerece a graça e enaltece o homem. Na verdade é um desevangelho, um ultraje ao espírito da graça, um escárnio ao sangue de Jesus.

Créditos: http://www.territorio7.com.br/blog

FALANDO DE AMOR

Purifica o teu coração antes de permitires que o amor entre nele, pois até o mel mais doce azeda num recipiente sujo.
Pitágoras

sábado, 30 de outubro de 2010

PORNOGRAFIA CONFESSE

Confesse / Pornografia!
1. Pornografia.
2. Prostituição.
3. Sexo fora do casamento.

A questão é: O que você vai fazer sobre esses fatos? Nós podemos simplesmente aceitá-los e nos render à nossa carne, ou nós podemos viver uma vida de integridade e evitar tropeços e armadilhas da pornografia na Internet. Essa é a luta de cada homem.

Provérbios 28:13 “ O que encobre as suas transgressões jamais prosperará, mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.” A primeira coisa a ser feita é tirar o peso de suas costas. Fique cara a cara com Deus, e faça com Ele saiba que você está pronto pra mudar e diga isso à outra pessoa.

Pensando nisso, escreva um comentário abaixo confessando o que você já fez ou ainda faz, para que possamos orar por você. Confesse Anônimo. Não queremos expor ninguém. Por isso escreva.

fonte sexxxchrch.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Sobre o Aborto

O mundo que Deus nos deu é mais do que suficiente, segundo os cientistas e pesquisadores, para todos; existe riqueza mais que de sobra para todos. É só uma questão de reparti-la bem, sem egoísmo. O aborto pode ser combatido mediante a adoção. Quem não quiser as crianças que vão nascer, que as dê a mim. Não rejeitarei uma só delas. Encontrarei uns pais para elas. Ninguém tem o direito de matar um ser humano que vai nascer: nem o pai, nem a mãe, nem o estado, nem o médico. Ninguém. Nunca, jamais, em nenhum caso. Se todo o dinheiro que se gasta para matar, fosse gasto em fazer com que as pessoas vivessem, todos os seres humanos vivos e os que vêm ao mundo viveriam muito bem e muito felizes. Um país que permite o aborto é um país muito pobre, porque tem medo de uma criança, e o medo é sempre uma grande pobreza.Temos medo da guerra nuclear e dessa nova enfermidade que chamamos Aids, mas matar crianças inocentes não nos assusta.
( Frases e Pensamentos de MADRE TERESA DE CALCUTÁ)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

ASSEMBLEIA PRESBITERIANA REJEITA CASAMENTO GAY, MAS ACEITA PASTORES HOMOSEXUAIS.

James Tillman
MINNEAPOLIS, Minnesota, EUA, 12 de julho de 2010 (Notícias Pró-Família) — No final da quinta-feira, a 219ª Assembleia Geral da Igreja Presbiteriana (EUA) votou para adiar uma proposta que teria mudado sua definição de casamento para aliança entre “duas pessoas” em vez de entre “um homem e uma mulher”.
Contudo, eles também votaram para permitir que homossexuais praticantes sejam ordenados como pastores dentro da Igreja Presbiteriana dos EUA (IPEUA).
A comissão subordinada da assembleia sobre questões de união civil e casamento havia votado 34 a 18 na terça-feira para mudar a definição de casamento. Cindy Bolbach, a moderadora da assembleia geral, disse que o fracasso da proposta da comissão na assembléia mais ampla mostrou que os delegados desejavam debater mais o assunto.
Bolbach pessoalmente apoia o “casamento” de mesmo sexo, mas disse que não crê que sua denominação esteja pronta para aceitá-lo ainda. A proposta foi adiada por dois anos, depois dos quais será considerada de novo.
A proposta de ordenação gay, que foi aprovada por 373 a 323, tem ainda de ser aprovada por uma maioria dos 173 presbitérios ou igrejas presbiterianas locais antes que entre em vigor. Essa é a quarta vez em que a IPEUA aprovou a ordenação de pastores homossexuais; cada uma das ocasiões anteriores os presbitérios locais rejeitaram a proposta.
A IPEUA vem permitindo que os pastores dêem sua bênção para duplas de mesmo sexo desde 2000, e tem apoiado uniões civis para duplas de mesmo sexo desde 2004.
A Rev. Janet McCune Edwards de Pittsburgh, que usou um xale tricotado com as cores do arco-íris para mostrar seu apoio aos homossexuais, falou em favor de se permitir o “casamento” de mesmo sexo.
“O coração do casamento é o amor e o compromisso entre duas pessoas”, Edwards disse. “É isso o que as Escrituras ensinam. Dois homens ou duas mulheres podem mostrar todo o amor e compromisso que reconhecemos como casamento”.
Mas tais argumentos não convenceram a muitos.
Carmen Fowler, presidente do Comitê Presbiteriano Leigo, disse que crê que tais iniciativas são culpadas pela queda no número de membros da denominação.
A Igreja Presbiteriana vem diminuindo nas últimas quatro décadas. Em 1965 ela tinha cerca de 4.25 milhões de membros; agora ela tem cerca de 2.1 milhões de membros.
Para a afirmação de Bolbach de que a Igreja Presbiteriana ficou paralítica, Fowler disse que isso é o que ocorre quando o corpo da igreja se separa de sua cabeça: Jesus Cristo.
A Assembleia Geral também votou para alterar outro padrão de ordenação durante a reunião. Os atuais padrões para os pastores exigem que eles “vivam em fidelidade dentro da aliança de casamento entre um homem e uma mulher, ou castidade como solteiro”.
Se a mudança da Assembleia Geral for aprovada pelos presbitérios locais, todas as referências à “fidelidade” e “castidade” serão removidas. Em vez disso, os padrões para o pastorado serão mudados para “refletir o desejo da igreja de se submeter alegremente ao Senhorio de Jesus Cristo em todos os aspectos da vida”.
Tal mudança havia sido rejeitada quatro vezes antes.
Alguns ameaçaram deixar a igreja se os padrões de ordenação mudarem.
Hector Reynoso, da Missão Presbitério, disse durante o debate que “a homossexualidade é pecado ou não é. Mas não é ambos. Alguém está certo e alguém está errado”.
Ele disse que deixaria a IPEUA se os presbitérios votarem para mudar os padrões de ordenação, dizendo “Apoio Jesus e convido vocês a permanecer comigo”.
A Coalizão Presbiteriana, que apoia os atuais padrões de ordenação, divulgou uma declaração na quinta-feira de noite depois que a votação da Assembleia Geral sobre pastores homossexuais havia terminado.
“Ficamos entristecidos com a decisão de hoje tomada pela Assembleia Geral de recomendar a remoção de padrões morais para nossos pastores e líderes que com justiça exigem fidelidade dentro da aliança de casamento entre um homem e uma mulher ou castidade como solteiro”, declara o comunicado da Coalizão. “A medida foi adotada por uma margem estreita.
“Apesar disso, essa decisão marca uma separação do ensino da Igreja universal acerca da santidade da vida. As Escrituras Sagradas nos ensinam a fugir da imoralidade sexual”
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/jul/10071203.html
UNIVERSIDADE DEMITE PROFESSOR CATOLICO POR EXPLICAR ENSINO DA IGREJA CATOLICA SOBRE HOMOSEXUALIDADE.

Kathleen Gilbert
URBANA, Illinois, EUA, 12 de julho de 2010 (Notícias Pró-Família) — Um professor católico foi demitido da Universidade de Illinois por enviar um email aos estudantes num curso sobre doutrina católica, explicando como a atividade homossexual é contrária à lei moral natural.
Kenneth Howell de Champaign, IL, também perdeu seu emprego na diocese de Peoria no Centro Newman da universidade, onde ele havia trabalhado durante 12 anos, depois que autoridades universitárias confrontaram Howell acerca do email.
Howell havia ensinado “Introdução ao Catolicismo e Pensamento Católico Moderno” no Departamento de Religião da universidade desde 2001.
Num relato postado no site CatholicVoteAction.org, Howell diz que embora os estudantes no curso tenham muitas vezes discordado do ensino católico no passado, na primavera de 2010 ele “notou a reação mais estrondosa que já sofri” com relação ao ensino católico contra a homossexualidade como moralmente errada.
“Parecia fora de proporção a tudo o que eu havia conhecido até aquele momento”, escreveu ele. Isso, disse ele, o levou a enviar um email explicando “como essa questão pode ser decidida dentro de sistemas morais rivais”, contrastando utilitarismo e lei moral natural.
“Se entendemos o utilitarismo como um tipo de análise de custo/benefício, tentei mostrar-lhes que sob o utilitarismo, os atos homossexuais não seriam considerados imorais ao passo que sob a lei moral natural eles seriam”, escreveu ele. “O motivo disso é que a lei moral natural, diferente do utilitarismo, julga a moralidade na base dos próprios atos”.
No email, conforme citado pela Associated Press, Howell havia escrito: “A Lei Moral Natural diz que a Moralidade tem de ser uma resposta à Realidade. Em outras palavras, os atos sexuais são apropriados apenas para pessoas que são complementárias, não as mesmas”.
Depois do final do semestre, Howell diz que foi chamado ao escritório de Robert McKim, diretor do Departamento de Religião, onde foi informado de que seu email havia sido encaminhado ao Gabinete de Questões Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneras, e que ele não mais poderia ensinar na universidade. Apesar da discussão do conteúdo do email, disse Howell, McKim “estava bastante insistente em que meus dias de ensino no departamento estavam acabados”.
Howell ofereceu não lidar com o assunto de homossexualidade em classe, e “declarou que me despedir por ensinar a posição católica numa aula sobre catolicismo era uma violação da liberdade acadêmica e meus direitos de Primeira Emenda de liberdade de expressão. Isso não fez nenhuma diferença”.
Pelo fato de que a diocese de Peoria só permite que professores universitários ensinem no campus do Centro Newman, Howell perdeu sua posição ali também. Howell está agora adotando ações legais com um advogado do Fundo de Defesa Aliança.
Tentativas iniciais de contatar a Diocese de Peoria e a Universidade de Illinois não tiveram êxito até o momento da publicação. O Dr. Howell evitou comentar antes de falar com seu advogado.
O caso, embora fora do comum nos Estados Unidos, já era prenunciado por discriminação semelhante no Canadá e outros países. O Dr. Chris Kempling, professor na Colúmbia Britânica, foi intimado por má conduta profissional e sua licença foi suspensa depois de escrever cartas a um jornal local explicando a convicção cristã sobre a homossexualidade. Kempling lutou contra as acusações até o Supremo Tribunal do Canadá, onde seu recurso foi negado — deixando-o com centenas de milhares de dólares em honorários legais para pagar.
Os advogados do FDA vêem o caso de Howell como parte de uma tendência lúgubre nas universidades.
“Uma universidade não pode censurar a expressão dos professores — inclusive expressões em sala de aula relacionadas ao tópico da aula — meramente porque certas ideias ‘ofendem’ um estudante anônimo”, disse o advogado de Howell, David French, advogado sênior do FDA. “Despedir um professor por ensinar o real conteúdo de seu curso é escandaloso. É ridículo que uma universidade demitiria um professor sem nem mesmo lhe dar uma chance de se defender quando ele estava simplesmente ensinando convicções católicas numa aula sobre convicções católicas”.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com
Veja também este artigo original em inglês: http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/jul/10071205.html

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Epifania

Epifania
Qual é o quid proprium da igreja de Jesus Cristo no mundo? Que função tem a igreja na sociedade? Qual é a dimensão indelegável da igreja na teia de forças que tecem a vida humana? A igreja ainda é relevante nesta sociedade moderna ou pós-moderna? Vale a pena ser igreja e trabalhar pela manutenção e expansão da igreja ou vivemos dias onde a vida religiosa está ultrapassada e obsoleta? A espiritualidade é apenas uma outra forma de falarmos em auto-ajuda ou, de fato, há algo na experiência espiritual que a torna imprescindível à saúde pessoal e coletiva?

As respostas que encontro para estas perguntas podem ser resumidas na palavra "sagrado": a igreja é o ambiente facilitador, a comunidade guardiã e a protagonista na manifestação e experiência do sagrado na sociedade. Rudolf Otto diz que a experiência do sagrado é o sentimento de "mistério terrível e fascinante": misterium tremendum fascinans. Mistério porque trata daquilo que extrapola a razão humana e sua capacidade de apreensão por si mesma; mistério é aquilo a que se tem acesso mediante revelação; trata do sobrenatural, do metafísico. Tremendo, ou terrível, porque produz pavor, assombro, êxtase, arrebatamento e alumbramento. E fascinante porque cativa e seduz.

A teologia diz que a experiência do sagrado acontece mediante a manifestação do divino, a aparição surpreendente de Deus, quando somos surpreendidos diante de algo, ou alguém, que nossa razão não dá conta. Esta manifestação, aparição, revelação do divino é chamada de epifania. Por exemplo, quando Jacó exclamou "Deus estava aqui e eu não sabia" ou o profeta Isaías disse "Ai de mim, pois meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos". Da mesma maneira, quando o apóstolo Pedro caiu aos pés de Jesus gritando "Afasta-te de mim, pois sou pecador" ou Saulo de Tarso tombou a caminho de Damasco, cegado pela luz e pela voz do Cristo ressurreto.

Conta-se que, muitos anos antes de sua morte, o rabino Abraham Joshua Heschel sofreu um ataque do coração quase fatal. Seu melhor amigo estava ao lado de seu leito. Heschel estava tão fraco que só conseguiu sussurrar: "Sam, sou grato pela minha vida, por todos os momentos que vivi. Estou pronto pra partir". Fez uma longa pausa e concluiu "Nunca na minha vida pedi a Deus sucesso, sabedoria, poder ou fama. Pedi a Deus assombro. E Ele me concedeu".

Vivemos em um mundo que perdeu não apenas o contato com o sagrado e a sensibilidade para percebê-lo, mas também, e tristemente, a capacidade de desejá-lo. A igreja é ainda a última fronteira. A igreja é o dedo que aponta a realidade do sagrado. A igreja é a síntese das epifanias. A igreja é a comunidade dos assombrados. A igreja é a reunião dos que caíram de joelhos diante de Jesus de Nazaré, o Cristo de Deus. Bendito seja, antes e agora e para todo o sempre. Amém.

Trancrito - Pr. Ed René.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Ventriloquo de Igreja

Bíblia: Vem! Vamos aprender, fala comigo: a-m-o-r




Crente: M-i-l-a...



Bíblia: Não! Milagre não! A-m-o-r



Crente: M-i-l-a-g...



Bíblia: A-m-o-r! A-m-o-r! A-m-o-r!



Crente: M-i-l-a-g-r...



Bíblia: Ai, ai, ai! Milagre não! A-m-o-r!



Crente: A-m-... A-m... A-m...



Bíblia: Isso mesmo! Continua: A-m-o-r!

Crente: A-m... A-m... Amostra de poder, benção, bufunfa, carro do ano, coleta, conquista, cura, dinheiro, dízimo, fama, fogo, fortuna, glória, grana, jóias, libertação, maravilha, milagre, mover, paixão, poder, popularidade, ouro, riqueza, sucesso, unção... P-R-O-S-P-E-R-I-D-A-D-E

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Folheto "Renato Russo" e “Uma Igreja para quem não gosta de "Igreja"!"

A pouco tempo, editamos um folheto, que fala sobre o AMOR, e que traz na capa uma foto do cantor, poeta e compositor Renato Russo, com o refrão de uma de suas musicas “é preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã......” e contamos que isso Jesus já havia falado há mais de 2000 anos, e baseamos na parábola do Jovem Rico, que faria tudo para entrar no Reino dos Céus, menos abrir mão dos seus bens materiais, DIVIDINDO COM OS NECESSITADOS”. Na ultima folha colocamos o nosso endereço e a frase: “UMA IGREJA PARA QUEM NÃO GOSTA DE IGREJA”. Essa expressão causou a revolta de alguns Mestres denominacionais e de alguns cristãos que se preocuparam. Mas é isso mesmo. “UMA IGREJA PARA QUEM NÃO GOSTA DE IGREJA”, Antes de expressar a minha visão sobre a igreja atual, transcrevo um artigo do Pastor da IBAB - Ed René Kivitz. (De quem ouvi pela primeira vez essa expressão) Mas adianto aqueles que se preocuparam – Sou Pastor de uma base interdenomnacional, membro de Igreja da Batista (portanto sou Batista), luto pela Igreja, mas aberto a todas as formas de louvor ao Nosso Deus, Creio no Único Deus, Pai, Filho e Espírito Santo. Jesus Cristo Senhor absoluto, que morreu em nosso lugar e sigo aquilo que ele ensinou.

Na próxima semana, estarei publicando os fatos que me levaram a optar pela "IGREJA PARA QUEM NÃO GOSTA DE IGREJA".

Pr. Marcão

Uma igreja para quem não gosta de igreja - Ed René Kivitz

Aos nossos filhos e aos filhos dos nossos filhos

Ninguém tira um pedaço de um vestido novo para o coser em vestido velho; do contrário, não somente rasgará o novo, mas também o pedaço do novo não condirá com o velho. E ninguém deita vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho novo romperá os odres e se derramará, e os odres se perderão; mas vinho novo deve ser deitado em odres novos. E ninguém, tendo bebido o velho, quer o novo; porque diz: O velho é bom. (Lucas 5: 36-39)




Desde 1991, quando ouvi Bill Hybels falando de "uma igreja para quem não gosta de igreja", caminho na direção de buscar uma experiência de espiritualidade para além dos limites da mentalidade religiosa. Acredito que este é o sentido da parábola de Jesus: o vinho novo da espiritualidade cristã não cabe dentro do odre velho da religiosidade, que àquela época era basicamente judaica e farisaica e que, a bem da verdade, não mudou muito nestes últimos 2000 anos.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve se livrar dos pesos do tradicionalismo, legalismo e formalismo, identificados pelo Dr. Russell Shedd como alguns dos grandes inimigos da igreja contemporânea. O tradicionalismo, conforme Nicolai Berdiav, cristão ortodoxo russo, é a fé morta dos que ainda vivem, diferente da tradição, a fé viva dos que já morreram. Legalismo, como afirmação da lei acima do ser humano: mais vale fazer o que é certo, ainda que isso sacrifique o homem, como se o homem tivesse sido criado para o sábado e não o sábado para o homem. Formalismo, como expressão de uma devoção automática, mecânica, onde a forma importa mais que o conteúdo, os ritos valem mesmo que praticados sem paixão.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve ser livre de um deus totalitário, opressor, que impõe sua vontade à força, doa a quem doer. Deve se aproximar mais do "Deus servo sofredor", o cordeiro manso e humilde, capaz de manter acesa a chama do pavio que ainda fumega e cuidar de segurar sem quebrar a cana já moída.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve abandonar a postura exclusivista e sectária de dona da verdade, como se Deus fosse sua propriedade e somente os seus iguais fossem íntimos do céu. Deve se abrir ao diálogo, buscar discernir as manifestações da graça de Deus, que transbordam os portões das catedrais.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve se ocupar não em atender aos caprichos de seu público interno, mas em ser relevante, útil e servidora das multidões que vivem no mundo "como ovelhas sem pastor".

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve ser "reformada, sempre se reformando", caminhar ancorada na rocha - o Cristo, mas ao sabor do vento - o Espírito. Não deve ter medo de experimentar, arriscar, ousar, tentar. Não deve ter vergonha de errar, voltar atrás, pedir perdão e recomeçar.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve priorizar suas crianças, adolescentes e jovens. Deve adequar sua agenda, diversificar suas atividades, dinamizar sua liturgia, atualizar sua metodologia, ampliar sua tematização, aprender a falar outras línguas, usar múltiplas mídias.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve pensar o amanhã como se fosse hoje. Dar prioridade aos seus filhos e aos filhos dos seus filhos que virão. Deve abrir passagem, ceder espaço, compartilhar poder com as novas gerações.

Uma igreja para quem não gosta de igreja deve amar o vinho mais que o odre, viver embriagada do vinho em detrimento de preocupada e apegada ao odre. Deve abrir mão do controle necessário à manutenção do velho e acolher o Espírito, que é sempre livre para fazer chegar o novo. Cair de joelhos e lá permanecer, apaixonada aos pés de Jesus, o Cristo de Deus, que faz novas todas as coisas.

Ed René Kivitz

segunda-feira, 21 de junho de 2010

A GRANDE COMISSÃO DA IGREJA

Em Mateus 28.18-19, após morto na cruz e sepultado por três dias, saído da tumba em poder de ressurreição, Jesus ordena aos doze apóstolos: “Ide por todo o mundo e fazei discípulos de todas as nações” (ARA).

O objetivo é claro, Jesus não tinha apenas a intenção que se compartilhasse as Boas Novas, desejava que seus seguidores formassem servos semelhantes a eles, que pudessem dar prosseguimento à missão, isto é, que formassem discípulos.

A Grande Comissão é um imperativo, está baseada e sustentada pela autoridade do Senhor ressurreto e exaltado, que promete estar sempre com o seu povo.

Ao pronunciar o comissionamento, Jesus estava prestes e ascender ao céu. Quando alguém está de partida, suas últimas palavras são sempre as mais importantes. Antes de subir, as últimas palavras de Jesus a seus discípulos foram de instrução. Elas nos faz saber que:

• os discípulos continuavam sob a autoridade do Mestre;

• os discípulos deveriam fazer mais discípulos;

• os discípulos deveriam batizar e ensinar os novos discípulos a obedecerem a Jesus;

• Cristo estaria com os discípulos todos os dias por intermédio do Espírito Santo.

Embora nas missões anteriores Jesus tivesse enviado seus discípulos apenas aos judeus (Mateus 10.5-6), a partir daquele momento a missão ganhava proporção mundial.

Nas palavras da Grande Comissão, entendemos que evangelizar não é uma opção, mas uma obrigação de todos que os que consideram Jesus como Senhor. Não somos todos evangelistas no sentido formal desta palavra, mas recebemos os dons necessários para ajudar a realizar essa grande obra. Ao obedecermos, temos o conforto de saber que Jesus estará sempre conosco.

A cruz de Jesus Cristo tem sido chamada de “sustentáculo da história cósmica”. O destino eterno de cada ser humano depende desse relacionamento da pessoa com Jesus e sua obra na cruz. Como seguidores do Mestre, devemos refletir profundamente sobre a morte e a ressurreição de Jesus e seus significados.

Cada discípulo, depois de refletir sobre seu entendimento quanto a morte e ressurreição de Jesus, precisa refletir sobre o que a cruz significa a um vizinho, ao amigo, aos membros da família, aos colegas da escola e do trabalho.
Você tem certeza de que cada um dos indivíduos que conhece já veio aos pés da cruz e recebeu a salvação que só Cristo pode dar? Se não, ore para saber como você pode ser um instrumento preparado para levar estas pessoas ao Calvário hoje. Esta missão pode envolver um telefonema, uma carta, um e-mail, um convite para almoço, uma tarde juntos. Peça para Deus que prepare seu coração, peça uma porta aberta oportunamente, e ousadia enquanto compartilha a mensagem transformadora do Evangelho.

O discipulado demanda tempo, esforço, dedicação, acompanhamento, aconselhamento, paciência, sabedoria e amor. Não é tarefa nada fácil, mas extremamente recompensadora.

Em Atos 1.8, lemos as seguintes palavras de Cristo: “Recebereis poder , ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até os confins da terra”. Jesus é o Senhor de toda a terra. Ele morreu pelos pecados dos povos de todas as nações. Assim, devemos ir e conquistar novos discípulos, seja em nossa vizinhança ou em outros países. O avanço dos pregadores das Boas Novas até os confins da terra, fazendo discípulos, é a síntese do cristianismo.



Texto adaptado e compilado:
Revista Caminhada Diária, nº 2, edição de 1987 (Editora Sepal).

Parabola da Galinha e do Porco

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Carta do Som do Céu

O Acampamento Som do Céu completou a sua 25ª edição nesse mês de abril, feriado de Semana Santa. Os músicos e demais artistas ali reunidos puderam debater dois temas bastante pertinentes e elaborar, como fruto dessas discussões, uma carta chamada CARTA AO SOM DO CÉU, que reproduzo logo abaixo.


Esperamos que ela sirva de diretriz para muitas das igrejas locais e artistas cristãos que, como nós, desejam servir ao Senhor de todo o coração, toda alma e todas as forças.

http://ultimato.com.br/blogs/carlinhosveiga/2010/02/17/25-anos-de-som-do-ceu-carta-do-som-do-ceu/

terça-feira, 18 de maio de 2010

Agricultura familiar reforça merenda escolar



Agricultura familiar reforça merenda escolar no interior de Alagoas


    No município de Viçosa, no interior de Alagoas, as crianças ganharam um reforço na merenda escolar: o inhame branco, uma tuberosa nutritiva e com baixo teor calórico, que pode ser usado em várias receitas saborosas. Ganharam as crianças e também os agricultores familiares da região, que têm parte de sua produção comprada pela prefeitura.
    A produção do inhame e a organização dos produtores é coordenada pelo Arranjo Produtivo Local (APL)* do Inhame no Vale do Paraíba, que conta com quatro associações e a Cooperativa Regional dos Pequenos Produtores Rurais do Vale do Paraíba, e tem como objetivo a melhoria socieoconômica local.
    De acordo com Walter Sandes, engenheiro agrônomo e gestor do APL do Inhame no Vale do Paraíba, a aprovação da Lei Federal 11.947/2009, que determina que 30% dos alimentos que compõem a merenda escolar sejam adquiridos de produtos da agricultura familiar, trouxe vários benefícios para a região, como a prática do preço justo nas relações comerciais, a abertura de um novo canal de comercialização e o aumento das hortas comunitárias.

Mobilizadores COEP - Qual a base da agricultura na região?
R.: A pecuária bovina é a principal atividade da região, entretanto, é exercida em sua maioria por latifundiários. Quanto aos pequenos produtores, a base é a agricultura de subsistência, com o cultivo da batata, da macaxeira [aipim] e inhame, sendo este último o principal em termos de retorno econômico.
Mobilizadores COEP - Qual a importância para a segurança alimentar e para o incremento da agricultura familiar a introdução de alimentos locais na alimentação escolar?
R.: Viçosa, município a 86 km de Maceió (AL), é uma cidade cuja base da economia está na produção agropecuária. Portanto, o incremento de alimentos locais aquece a economia – fazendo com que o dinheiro circule na própria cidade -, estimula a agricultura com diversificação produtiva, fixa o homem no campo, reduzindo, consequentemente o êxodo rural, e fornece alimentos mais frescos, colhidos diariamente, tendo em vista a proximidade dos campos produtivos e o local de entrega. Além disso, valoriza a culinária local e cria gradativamente uma maior independência da importação de alimentos. Uma das grandes vantagens do inhame é a sua capacidade de permanecer armazenado de 4 a 6 meses à temperatura ambiente sem degradação apreciável das suas propriedades nutricionais. Esta resistência, muito maior do que a da outros tubérculos, fazem do inhame um componente importante da segurança alimentar.

Mobilizadores COEP - O que mudou com a implementação da Lei Federal 11.947/2009, que determina que 30% dos alimentos que compõem a merenda escolar sejam adquiridos de produtos da agricultura familiar?
R.: Diversos foram os benefícios. Entre estes, citamos: criou um novo canal de comercialização; estabeleceu um preço mínimo do produto no mercado local [A saca de 60 quilos do inhame é comprada pela prefeitura de Viçosa por R$ 102, preço acima do praticado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que adquire a saca por R$ 97]; estimulou a prática do preço justo nas relações comerciais; fomentou a diversidade produtiva, a exemplo das hortas comunitárias que passaram de três para vinte e três, segundo informação do secretário de Agricultura de Viçosa, Marcos Domingos; e aproximou o gestor público das comunidades produtoras, fortalecendo a confiança política da população na atual administração.

Mobilizadores COEP - Por que o inhame branco foi escolhido para reforçar a merenda na região? Quais os benefícios obtidos através do seu consumo?
R.: O Vale do Paraíba possui tradição no cultivo desta tuberosa [o inhame é um tubérculo, uma espécie de caule subterrâneo que armazena nutrientes], e o inhame produzido é o Dioscorea rotundata [inhame branco], preferido pelo consumidor. Ele apresenta elevado teor de carboidratos e proteínas, contém apreciáveis teores de tiamina [vitamina B1], riboflavina [vitamina B2], niacina [vitamina B5], além de vitamina A e ácido ascórbico [vitamina C]. Além disso, possui menor teor calórico** [70,2 calorias] quando comparado com a mandioca [119,00 calorias] e a batata inglesa [78,5 calorias]. Por fim, tem uma produção por unidade de área [no ambiente agronômico ou agrícola, produtividade é definida como a quantidade de produção por unidade de área. Exemplo kg/ha = kilogramas por hectare], em geral, superior a da batata doce, da mandioca e da batatinha.

Mobilizadores COEP - Quando o inhame branco foi introduzido na merenda escolar das crianças do município? Quantas escolas e creches já usam o tubérculo na merenda?
R.: O inhame está presente no prato da criançada desde fevereiro de 2010 e a implementação desta lei [Lei Federal 11.947/2009] facilitou muito, pois diminuiu significativamente os trâmites burocráticos e permitiu que o pequeno produtor comercializasse seus produtos sem barreiras. Quanto ao número de escolas e creches, todas da rede municipal já usam o inhame na merenda, totalizando 21 escolas e 7 creches.

Mobilizadores COEP – De que forma ele é servido às crianças nas escolas e como está sendo sua aceitação?
R.: O inhame é servido cozido na forma tradicional de purê e como parte integrante de receitas. A aceitação é muito boa. Ele é um alimento sempre presente na mesa do nordestino, independentemente da classe social.

Mobilizadores COEP - O inhame pode substituir outros ingredientes?
R.: Sim. Pode substituir parcialmente a farinha de trigo, daí podemos imaginar as infinitas possibilidades de pratos, a exemplo de bolos, pizzas, lasanhas, pães, salgados diversos, sorvete, sucos, entre outros.

Mobilizadores COEP - De que forma é produzido o inhame no município?
R.: As associações são semelhantes a todas as outras de produtores rurais. O que se destaca nessa situação é a assistência técnica dada pela Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri-AL), e a Secretaria Municipal de Agricultura de Viçosa. Quatro associações estão cadastradas para comercializar com o poder público, num total de 50 famílias, além de vários agricultores individuais, ou seja, que não fazem parte de nenhuma associação ou cooperativa. Todos eles são do município e vivem do que produzem na terra.

Mobilizadores CoEP – Qual o papel desempenhado do cooperativismo neste cenário?
R.: A cooperativa tem como papel congregar os produtores, por meio da prestação de assistência tecnológica, compra de insumos, vendas compartilhadas e promoção de uma gestão participativa, desenvolvendo, portanto, ações voltadas para o fortalecimento da competitividade, do crescimento econômico e da abertura de novos mercados.

Mobilizadores COEP – De que forma o Arranjo Produtivo Local (APL) do Inhame participa deste processo?
R.: O APL é parte integrante do Programa PAPL [Programa de Desenvolvimento de Arranjos Produtivos Locais], e conta com o apoio direto do Governo do Estado de Alagoas, por meio da Seplan [Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento ], Seagri , Sebrae-AL e demais parceiros públicos e privados. O APL tem contribuído para o fortalecimento dos grupos produtores de inhame organizados em associações e cooperativas por meio da congregação de instituições de ensino e pesquisa, poder público federal, estadual e municipal, ONGs, instituições financeiras, agências de fomento e desenvolvimento e empresas privadas, somando esforços para a promoção da melhoria socioeconômica dos agricultores de inhame na região do Vale do Paraíba (AL).

Mobilizadores COEP – E como funciona o APL do Inhame no Vale do Paraíba?
R.: O APL possui um grupo composto por 22 membros que se reúnem todo mês para discutir e avaliar o andamento das ações. O nosso objetivo é organizar os produtores e a produção de inhame no Vale do Paraíba (AL) na busca da melhoria socieoeconômica de forma sustentável. Fazem parte do APL quatro associações e a Cooperativa Regional dos Pequenos Produtores Rurais do Vale do Paraíba.

Mobilizadores COEP - Quantos quilos de inhame são vendidos atualmente à prefeitura?
R.: Foram vendidos cerca de 6 mil quilos até o momento. Inicialmente, os produtores irão fornecer o inhame até o fim do mês de maio. [Para o prefeito de Viçosa, Flaubert Torres Filho, “a previsão é que daqui a seis meses os recursos investidos na aquisição desses produtos aumentem, e a prefeitura possa comprar 50% da merenda escolar dos agricultores familiares”].

Mobilizadores COEP - Como os agricultores familiares foram capacitados para atender à demanda?
R.: Através da articulação e mobilização dos parceiros. Para chegar até as compras públicas, o grupo de produtores foi capacitado em associativismo e cooperativismo por técnicos da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário. O grupo também teve apoio do Arranjo Produtivo Local do Inhame no Vale do Paraíba, do Sebrae em Alagoas, Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan) e da prefeitura de Viçosa. A Seagri mantém a assistência técnica. As capacitações de forma geral são ofertadas pelo Sebrae.

Mobilizadores COEP - Outros produtos agrícolas da região já foram ou vão ser introduzidos na merenda das crianças?
R.: Sim, frutas e hortaliças.

Mobilizadores COEP - Quais as perspectivas no que se refere à continuidade da iniciativa?
R.: Se a assistência técnica continuar, o poder público permanecer apoiando e a produção agrícola for ampliada e diversificada, as perspectivas serão as melhores possíveis. Em síntese, são três as bases do sucesso dessa nova lei: vontade política, assistência técnica e produção agrícola.



_______________

*O Arranjo Produtivo Local (APL) é caracterizado por ter um número significativo de empreendimentos no território e de indivíduos que atuam em torno de uma atividade produtiva predominante, compartilhando formas percebidas de cooperação e algum mecanismo de governança, podendo incluir pequenas, médias e grandes empresas.

** Kcalorias (por 100 gramas)

Entrevista do Grupo Combate à Fome e Segurança Alimentar

Concedida à: Marcelo Copelli

Editada por: Renata Olivieri



Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

      O dia 18 de maio é o Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A Marcha contra o abuso sexual da criança e do adolescente surgiu com o intuito de mobilizar as próprias crianças e adolescentes, além da sociedade e o governo como um todo, a combater essa forma cruel de violação de direitos de meninas, meninos e jovens brasileiros.
      De acordo com dados nacionais a cada minuto 4 crianças sofrem algum tipo de abuso sexual. Por isso criaram este site, http://www.estaacontecendoagora.com/, para que as pessoas tenham a consciência de que elas podem não ver, mas a cada minuto que passa, mais crianças são vítimas dessa violação.